Instituto Açoriano de Cultura
Página inicial | Arquivo de Newsletters | Associe-se | Contactos | Mapa do site
Orgãos Sociais
Projectos Agenda Livraria virtual o IAC
 
 
Órgãos Sociais
Biénio 2019-2020
 

Nos termos do ponto 3 do artigo 10.º dos Estatutos, a Direção apresenta à Assembleia-Geral a seguinte lista de órgãos sociais para o biénio de 2019/20:

ASSEMBLEIA GERAL
Ricardo Barros (Presidente)
Vasco Pereira da Costa (Vice-Presidente)
António Brito Neves (Secretário)
Ricardo Ferraz da Rosa (Secretário)

DIREÇÃO
Carlos Bessa  (Presidente)
Maria João Vieira (Secretária)
João Pedro Couto (Tesoureiro)
Sara Leal (Vogal)
Daniela Silveira (Vogal)
Ana Margarida Arroz (suplente)
Marcos Aguiar (suplente)

CONSELHO FISCAL
Pedro Corvelo (Presidente)
Hugo Tiago (Vogal)
Marta Silva (Vogal)

Angra do Heroísmo, 15 de fevereiro de 2019
A Direção

DIREÇÃO



Carlos Lino Portela Bessa
(Presidente)
carlosbessa@iac-azores.org
Nasceu em janeiro de 1967, em Viana do Castelo, cresceu nos arredores do Porto, cidade onde se formou em História de Arte, na Faculdade de Letras. Vive e trabalha na ilha Terceira.
Obteve uma Bolsa de Criação Literária na modalidade de poesia do IPLB/Ministério da Cultura para o ano de 2002, sendo autor de vários livros de poesia com alguma fortuna crítica. É ainda autor de uma recolha da poesia de Roberto de Mesquita (Almas Cativas e Poemas Dispersos, 2007), de uma obra de divulgação de Vitorino Nemésio (Sentado Numa Pedra de Memória, 2012) e de uma história infanto-juvenil, em colaboração com Diogo Bessa (Entre Castelos, D.R. Cultura do Norte, 2014).
Crítico literário do semanário Expresso, tem colaboração dispersa pelo “Jornal do Fundão”, “JL”, “Colóquio-Letras”, “Expresso das Nove”. E por outros periódicos, nomeadamente pelo “Fazendo”. Tem acompanhado o trabalho plástico de alguns artistas, sobre os quais tem escrito. 




Maria João M. Lopes Vieira
(Secretária)
mjoaovieira@iac-azores.org
Nasceu em São Miguel, em dezembro de 1957. Reside e leciona na Praia da Vitória. Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante Inglês - Alemão, pela Faculdade de Letras de Lisboa (1983), fez Especialização em Ciências Documentais, variante Bibliotecas e Documentação (2003) e Mestrado em Cultura e Literatura Portuguesas, pela Universidade dos Açores (2008). Possui formação contínua na área de Bibliotecas e Documentação e de promoção da leitura. Entre 2002 e 2006 dirigiu e reorganizou a Biblioteca Municipal José Silvestre Ribeiro, na Praia da Vitória. Publicou a obra José Silvestre Ribeiro (1807-1891): o liberal e o humanista – Câmara Municipal: Praia da Vitória, 2011 e tem vários artigos em diversas publicações.
Fez duas exposições individuais de aguarelas em julho de 2014, na Academia da Juventude e das Artes da Ilha Terceira e em outubro de 2015, na Casa da Cultura Carlos César de Lagoa, em São Miguel. Participou em várias exposições coletivas de pintura na Praia da Vitória desde 1994.




Sara Ferreira Leal
(Vogal)
Nasceu no Porto, a 5 de novembro de 1982. Cresceu na Terceira, com a brisa do mar a entrelaçar-lhe os fios de cabelo.
Ainda na adolescência foi distinguida com dois prémios de literatura, pela Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses (CNCDP). O primeiro, em 1998, sobre a chegada dos portugueses à China e a fundação de Macau, num formato de artigo ficcionado. O segundo, em 1999, pela biografia de um açoriano, com um papel relevante na colonização do Brasil, intitulada “Carta de Francisco da Silva do Canto ao filho”, um texto ficcionado baseado em acontecimentos reais. Este último, publicado pelo Instituto Açoriano de Cultura na Revista Atlântida vol. XLVIII, em 2003.
Apaixonada pela escrita e áreas criativas, licenciou-se em Publicidade e Marketing (especializada em Marketing) pela Escola Superior de Comunicação Social, em 2005.
Em 2007, integra o departamento de Marketing da empresa Talento, em Lisboa. Durante três anos, foi Marketing Sponsors’ Account e integrou a equipa que fez renascer o Circuito da Boavista, no Porto, e que trouxe o World Touring Car Championship (WTCC) a Portugal (Porto e Estoril), entre outros eventos. Em 2009, ruma a Nova Iorque, onde estuda Filmmaking (Cinema/Realização) na New York Film Academy (NYFA). Onde posteriormente trabalhou como professora assistente.
Trabalhou no departamento de produção da Arts Engine, uma organização cujas actividades incluem produção de filmes documentários, um festival de cinema ligado às causas sociais, designado “Media that Matters” e uma plataforma criada para apoiar cineastas, educadores e activistas a estabelecer diálogo com a sociedade civil, designada “Media Rights”. Foi coordenadora de pós-produção do filme (A)Sexual, de Angela Tucker (Documentário, EUA, 75’, 2011).
Coordenou a produção de GT Racer - the Algarve Special, de Alexander Davidis (Portugal/EUA, 73’, documentário, 2011).
Produziu inúmeras curtas metragens, em Nova Iorque.
Realizou a curta metragem Runaway (EUA, 1’17’’, curta metragem, ficção) e integrou a Selecção Oficial do Festival New Filmmakers New York 2010, pelo mítico Anthology Archives.
Em 2013 participou na exposição colectiva Art.Revisited, no Museu de Angra do Heroísmo com quatro instalações de video (F project, Prometeu, Emotional Landscapes e Underwater Essay).
Participou no Fringe Festival, Pico, com a apresentação da curta F Project.
Foi coordenadora geral do Festival Azure em 2013.
Em 2014 realizou Under, uma instalação de video na galeria do Instituto Açoriano de Cultura.
Em 2015 e 2016 desenvolveu projectos na Re.Act Art Gallery, onde desenvolveu diversas actividades associativas, nomeadamente um programa com a Escola Tomás de Borba, que resultou numa exposição colectiva dos alunos da turma de artes, designada MIITO.
Actualmente conta com duas longas metragens em pós-produção, um filme documentário sobre a Fajã de Santo Cristo (São Jorge), e o filme Verde Cinza, uma ficção documental realizada na ilha Terceira.





Daniela Ferreira da Silveira
Nasceu na ilha Terceira, a 31 de Janeiro de 1986. Reside e exerce a sua atividade empresarial na cidade de Angra do Heroísmo. Curiosa e aventureira cedo rumou ao Continente Português onde viveu uma década na cidade do Porto. Com formação em ciências jurídico-sociais e empreendedorismo possui uma vasta experiência na área da comunicação social, marketing digital e produção de eventos. Com um gosto singular pela cultura, em particular pelas artes contemporâneas tem trabalho com diversas associações e instituições locais, regionais e nacionais, em projetos de autoria e em co-parceria, como a Associação Cultural Burra de Milho, Cine-Clube da Ilha Terceira, Museu de Angra do Heroísmo, Rádio Clube de Angra, Associação Cultural Porta-Jazz, Miratecarts, Academia da Juventude e Artes da ilha Terceira, etc. O primeiro projeto cultural criado de raíz em 2012, e que se mantém bem vivo até aos dias de hoje, é o Festival Mais Jazz que trouxe à ilha Terceira uma jovem e nova dinâmica musical ao estilo jazzístico. Em 2018, e depois de passar pela votação de júri e público,o festival Mais Jazz foi destacado como um dos cinco melhores festivais indoor da Península Ibérica nos Iberian Festival Awards promovido pela Associação Portuguesa de Festivais de Música, Direção Geral das Artes e Turismo de Lisboa juntamente com associações e instituições de Espanha. 




Ana Margarida Moura Oliveira Arroz
(Suplente)
Doutorada em Psicologia Educacional desde 2005, pela Universidade dos Açores. Atualmente desempenha funções na equipa Island Environmental Risks and Society (IERS) pertencente ao Center for Ecology, Evolution and Environmental Changes (cE3C).
Leciona as disciplinas de Psicologia Ambiental e da Saúde na Universidade dos Açores. A sua pesquisa foca-se na Psicologia Ambiental e Social, especificamente nas Perspetivas Ambientais, Comportamento de Risco, Perceção de Risco e Comunicação de Risco em crianças e adultos.
Os projetos mais recentes incluem estudos abrangentes sobre Perceções de Risco Público de fenómenos sísmicos e vulcânicos, pragas de térmitas, alterações climáticas, obesidade e perspetivas das crianças sobre o ambiente.
Ao longo dos anos tem estado envolvida na pesquisa sobre o Risco, com o objetivo de promover uma comunicação eficiente e negociação significativa e correta entre os stakeholders envolvidos em situações de risco.
Atualmente colabora em diferentes grupos e trabalha numa variedade de questões sobre Perceção e Comunicação de Risco e Psicologia da Saúde, nomeadamente com as professoras Isabel Estrela Rego (CVARG, UAC) e Luísa Lima (CIS, ISCTE-IUL).
A sua pesquisa atual é orientada pelos seguintes objetivos: i) compreender as motivações das pessoas em relação à natureza; ii) conceber, implementar e avaliar dispositivos comunicacionais condicionados às representações e resistências das pessoas em relação à perda de biodiversidade; iii) avaliar os impactos das infraestruturas urbanas azuis e verdes no bem-estar; iv) explorar estratégias de capacitação para lidar com riscos urbanos (por exemplo, térmitas).

Apresentação
Galeria de Presidentes
Estatutos
Estatuto Editorial da Revista Atlântida  
Orgãos Sociais
Projecto Cultural IAC
Relatórios de Actividades
Última actualização em 2019-03-01