Instituto Açoriano de Cultura Página inicial | Arquivo de Newsletters | Associe-se | Contactos | Mapa do site
Newsletter
 
 

N.º 24 26/06/2007

Apresentação do livro Inventário do Património Imóvel do Concelho da Ribeira Grande

No próximo dia 27 de Junho, pelas 21h30, por ocasião das Festas Municipais do Concelho da Ribeira Grande, em São Miguel, será apresentado ao público, no Teatro Municipal daquela cidade, o livro do Inventário do Património Imóvel do Concelho da Ribeira Grande.

A apresentação contará com uma conferência sobre o património imóvel da Ribeira Grande, proferida pelo Coordenador do Projecto do Inventário do Património Imóvel dos Açores e Presidente da Direcção do IAC-Instituto Açoriano de Cultura, Jorge A. Paulus Bruno.

Com a publicação deste livro – o nono da colecção do Inventário do Património Imóvel dos Açores (depois dos de São Roque, Lajes e Madalena da ilha do Pico, do Corvo, da Horta, da Praia da Vitória, de Vila do Porto e Lajes das Flores) – ficam agora registados e acessíveis ao público em geral os elementos referentes às 222 espécies inventariadas que representam o significativo património arquitectónico deste concelho da Ribeira Grande.

O livro, com cerca de 372 páginas, para além de integrar um texto metodológico sobre o projecto assinado por Jorge Bruno, contém ainda textos de José Damião Rodrigues sobre o enquadramento histórico daquele concelho (“Ribeira Grande: de Nobre Vila a Nova Cidade. Marcos na História de um Concelho”), de José Manuel Fernandes sobre a evolução da estrutura urbana da cidade (“Ribeira Grande: aspectos da sua evolução e história urbana”) e de João Vieira Caldas sobre o “Estilo Micaelense”. São ainda publicados 14 mapas com a localização genérica dos 222 casos inventariados, as suas respectivas fichas descritivas e um pequeno glossário.

Numa publicação conjunta da Direcção Regional da Cultura, do IAC-Instituto Açoriano de Cultura e da Câmara Municipal da Ribeira Grande, o livro, que abre com três textos dos editores, contém um número considerável de imagens que resultam de uma selecção entre as várias centenas fotografias e diapositivos recolhidos durante a campanha de terreno.

De acordo com o coordenador do IPIA, Jorge Bruno, «no contexto do património imóvel do concelho da Ribeira Grande, é imperioso referir a existência de um importante conjunto de imóveis que, pelas suas características, constitui aquilo que usualmente é designado por “Estilo Micaelense” e que representa, ao nível da arquitectura de carácter doméstico, o melhor e mais destacado património construído neste concelho. Estes imóveis, do mesmo modo que aqueles que dão corpo à Arquitectura do Ramo Grande (concelho da Praia da Vitória, ilha Terceira), constituem os dois mais expressivos conjuntos de arquitectura nos Açores. O “Estilo Micaelense” e a Arquitectura do Ramo Grande são as mais importantes referências no domínio da arquitectura doméstica nos Açores, uma em contexto urbano e do século XVIII e a outra em contexto rural e relacionada com a actividade agrícola e do século XIX, respectivamente».